Bahia registra mais de 1,7 mil mortes violentas nos primeiros quatro meses de 2024

  • 15/05/2024
(Foto: Reprodução)
Mais de 30 chefes de facções foram presos neste período. 11 deles estavam no Baralho do Crime. Bahia registra mais de 1.700 mortes violentas nos primeiros quatro meses de 2024 A Bahia registrou 1.746 mortes violentas entre janeiro e maio de 2024. A informação foi divulgada pela Secretaria de Segurança Pública do estado (SSP-BA), nesta quarta-feira (15). 📱 NOTÍCIAS: faça parte do canal do g1BA no WhatsApp O órgão de segurança pública considera como mortes violentas: homicídio, latrocínio e lesão dolosa seguida de morte. De acordo com a SSP-BA, no mesmo período, no ano passado, o estado registrou 1.912 mortes violentas. O número é 8,7% maior que o registrado em 2024, quando 166 vidas foram preservadas. Após a divulgação do balanço, o secretário da Segurança Pública, Marcelo Werner, afirmou que as forças policiais e de bombeiros atuam de forma "incessante" para garantir maior proteção para os baianos. "Ampliamos os investimentos em tecnologia e realizamos ações baseadas na inteligência com total integração a fim de combater o crime organizado garantindo a preservação de vidas, nosso maior patrimônio", disse o gestor. Estatísticas de violência na Bahia entre janeiro e maio de 2024 Mais de 6 mil presos Conforme a SSP-BA, a Bahia tem uma média de 50 suspeitos de cometerem crimes por dia em 2024. Neste período, 6.141 pessoas foram autuadas. Um aumento de 4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 5.902 foram presas. Segundo a pasta, 37 pessoas eram consideradas chefes de facções criminosas e 11 integravam o Baralho do Crime, catálogo que reúne informações dos foragidos mais perigosos da Bahia, como nome, apelido, área de atuação, além da foto. Tio Chico, Porquinho e Thubi: saiba quem são os novos criminosos incluídos em catálogo dos foragidos mais perigosos da Bahia A SSP-BA informou ainda que 320 foragidos da Justiça foram encontrados através do reconhecimento facial, uma média de duas prisões por dia. O órgão de segurança revelou que 1.573 pessoas foram presas através da ferramenta, desde o lançamento, em 2018. LEIA TAMBÉM: Sistemas de reconhecimento facial são confiáveis? Como falhas recentes reacendem o debate sobre riscos Com mais de mil prisões na Bahia, sistema de reconhecimento facial é criticado por 'racismo algorítmico'; inocente ficou preso por 26 dias 17 armas apreendidas por dia Fuzil 556 é apreendido pela PM na Vila Verde, em Salvador Divulgação/PM-BA O balanço divulgado pela SSP-BA nesta quarta-feira também revelou que as forças de segurança apreenderam 2.169 armas entre janeiro e maio deste ano, uma média de 17 por dia. O número representa um aumento de 23,8% em relação ao mesmo período de 2023, quando foram encontradas 1.752. A secretaria ressaltou que 25 das 2.169 armas apreendidas foram fuzis. Veja abaixo o histórico de apreensões: 8 de janeiro: primeiro fuzil apreendido pela FICCO e PM em Juazeiro; 9 de janeiro: em menos de 24 horas, segundo fuzil foi encontrado pela PM em Maragogipe; 16 de janeiro: durante a Operação Força Total, terceiro armamento foi encontrado pela PM em Paripe, no subúrbio de Salvador; 18 de janeiro: quarto fuzil foi encontrado pelo 7º Batalhão da Polícia Militar na cidade de São Gabriel, na Chapada Diamantina; 22 de janeiro: ações da 66ª CIPM ajudaram a localizar o quinto fuzil em Feira de Santana; 25 de janeiro: as polícias Militar e Civil localizaram na segunda etapa da Operação Relâmpago, o quinto fuzil, em Ilhéus, no sul do estado; 26 de janeiro: ação de inteligência da Polícia Civil encontrou dois fuzis no bairro de Itapuã, em Salvador; 29 de janeiro: dois fuzis foram apreendidos durante atividade prática do curso do BPATAMO no Engenho Velho da Federação, na capital baiana; 7 de fevereiro: Rondesp Central encontrou um fuzil no bairro de Engomadeira, em Salvador; 13 de fevereiro: Rondesp RMS encontrou um fuzil após confronto com criminosos na localidade "Pé Preto", no bairro Portão, em Lauro de Freitas; 23 de fevereiro: equipes do 23° BPM encontraram o armamento, calibre 5.56, no bairro de Aratuba, em Vera Cruz; 4 de março: dois fuzis encontrados com principal suspeito de comandar tráfico no bairro de Valéria, em Salvador, durante uma ação da Polícia Civil; 16 de março: policiais militares do 15° BPM apreenderam um fuzil 7.62 na Operação Garra de Arquimedes, em Itabuna, no sul do estado; 2 de abril: durante a Operação Galope, na cidade de Sapeaçu, no recôncavo baiano, um fuzil 5.56 foi apreendido durante um cumprimento contra um integrante do Baralho do Crime. No mesmo dia, equipes do DHPP de Juazeiro e Cipe Caatinga encontraram outro fuzil calibre 7.62; 15 de abril: um fuzil foi encontrado por equipes da 18ª CIPM, Rondesp BTS, Patamo, Gêmeos, Apolo e Graer no bairro de Periperi, no subúrbio de Salvador; 24 de abril: outro fuzil foi encontrado em ação do Bope, no bairro de Periperi; 5 de maio: equipes da 49ª CIPM, durante a Operação Ronda Noturna na localidade de Vila Verde, também em Salvador, apreenderam um fuzil calibre 5.56. 7 de maio: equipes da Rondesp Atlântico apreenderam fuzil, revólver, carregadores, munições e drogas em ação contra traficantes na região da Ceasa, na capital baiana; 12 de maio: suspeito de tráfico de drogas foi preso com dois fuzis durante uma operação integrada entre as polícias da Bahia e de Pernambuco; 14 de maio: um fuzil calibre 5.56 foi encontrado por equipes da Cipe e Rondesp Chapada e 12ª Coorpin na cidade de Itaetê, na Chapada Diamantina. Pagamento por redução de mortes Na terça-feira (14), o Governo da Bahia concedeu cerca de R$ 39 milhões, através do Prêmio por Desempenho Policial (PDP), para policiais militares, civis e peritos por reduzir 6% das mortes violentas no estado, no 2° semestre de 2023, na comparação com o mesmo período do ano anterior. No total, conforme o governo, 21.145 servidores das Forças da Segurança receberão o PDP. 17.232 são PMs; 2.488 integram a Polícia Civil; 862 atuam no Departamento de Polícia Técnica; 563 trabalham na estrutura da Secretaria da Segurança Pública. Dentre as 52 Áreas Integradas da Segurança Pública (Aisp), 27 apresentaram redução das mortes violentas no 2° semestre de 2023. "Fechamos 2023 com diminuição de 6% das mortes violentas, índice estipulado pelo PDP. Este ano, o trabalho segue intensificado e estamos com queda de 9%. Seguiremos com foco na preservação da vida", afirmou o secretário da Segurança Pública, Marcelo Werner. Veja mais notícias do estado no g1 Bahia. Assista aos vídeos do g1 e TV Bahia 💻

FONTE: https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/2024/05/15/balanco-violencia-na-bahia-entre-janeiro-e-maio-de-2024.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Top 5

top1
1. DESEJO IMORTAL

GUSTAVO LIMA

top2
2. ERRO GOSTOSO

SIMONE MENDES

top3
3. NOSSO QUADRO

AGROPLAY, ANA CASTELO

top4
4. FIM DO MUNDO

GUSTAVO MIOTTO

top5
5. LEÃO

XAMÃ & MARÍLIA MENDONÇA

Anunciantes